Poder público e sociedade civil discutem intervenções em saúde mental

Publicado: 03/05/2018

Promover a valorização da vida e garantir meios adequados de assistência àqueles que estão sofrendo qualquer tipo de desequilíbrio psicológico. Estes são os principais objetivos do poder público cianortense que, na noite da última quarta-feira (02), reuniu representantes da sociedade civil, atuantes nas esferas da saúde, educação, assistência social, religião e outras, no auditório do Paço Municipal, para discussão e planejamento de intervenções e ações intersetoriais em saúde mental.

“Temos que unir forças para que os cianortenses não façam parte de fatalidades evitáveis. O primeiro passo é a conscientização dos amigos, dos familiares, dos profissionais e da população de modo geral. Pois não podemos mais cometer erros como, por exemplo, banalizar a depressão, pela qual a tristeza vai além e o sofrimento psíquico se transforma em sintomas graves e incapacitantes, levando a atos extremos”, destacou o prefeito Bongiorno. “Assim, contamos com as potencialidades de cada um para disseminarmos a esperança, promovermos a valorização da vida e prestarmos a assistência adequada a quem precisa”, concluiu.

Nesse sentido, as equipes dos dois Centros de Atenção Psicossocial (CAPS I e Infantojuvenil) fizeram uma explanação sobre estatísticas e comportamentos, bem como prestaram orientações sobre como reagir aos indícios de uma pessoa em conflito. “Não existe uma ‘receita’ para detectar seguramente uma crise. Entretanto, quem está em sofrimento pode dar certos sinais que devem chamar a atenção de seus familiares e amigos próximos, como o isolamento; o desinteresse por atividades das quais gostava; falta de atenção às atividades básicas, como higiene e alimentação; demonstração de medo extremo e repentino; manifestações verbais sobre a morte; entre outras”, citou a chefe da Divisão de Saúde Mental, a psicóloga Thaise Dantas.

Para finalizar, as equipes reforçaram que o acolhimento às crianças e adolescentes (até os 18 anos) com transtornos mentais é realizado pelo CAPS Infantojuvenil, que está localizado na Rua Ipiranga, nº 84 e atende pelo telefone 3629-1575 e o atendimento aos adultos é efetuado pelo CAPS I, com sede na Rua Tiradentes, nº 84 e telefone 3903-1184. “Estamos de portas abertas para prestar ajuda”, afirmou Thaise.

A ocasião também contou com a participação do vice-prefeito, Beto Nabhan; da chefe da 13ª Regional de Saúde de Cianorte, Adriana Batista Gonçalves; da chefe do Escritório Regional da Secretaria de Estado da Família, Lucélia Guimarães Gelfei; da chefe do Núcleo Regional de Educação, Yolanda Cristina Rodrigues de Godoy; da representante do Conselho Regional de Psicologia, Sônia Pego; secretários municipais, chefes de divisões e servidores; dos vereadores Silvio do Pátio e Victor Hugo Davanço; de membros da equipe da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), padres, pastores, professores, presidentes de bairros e integrantes de clubes de serviços.

Fonte: Assessoria de Comunicação