Campanha alerta sobre o trabalho infantil durante o Carnaval

Publicado: 09/02/2018

Em Cianorte, ação patrocinada pelo Governo do Estado conta com o apoio da Prefeitura para coibir a prática ilegal Com a aproximação do Carnaval, quando surgem inúmeras oportunidades de serviços informais para crianças e adolescentes, a Secretaria de Estado da Família e Desenvolvimento Social (SEDS) realiza uma campanha especial de combate ao trabalho infantil nos municípios, através de ações com a distribuição de material informativo. Em Cianorte, a iniciativa conta com o apoio da Prefeitura que, por meio da Secretaria de Assistência Social, realizou mobilizações durante toda a semana em diferentes espaços. Na terça-feira (06), uma festa de Carnaval no distrito de São Lourenço movimentou a tarde da criançada. Através de brincadeiras, os servidores da Secretaria realizaram um bate-papo com os pequenos e entregaram os materiais informativos a respeito do assunto. Os panfletos, leques e máscaras infantis também foram distribuídos na quinta-feira (08), pela manhã, no centro da cidade e, pela tarde, em escolas do município, pelos colaboradores da pasta e do escritório regional da SEDS. O alerta, segundo a secretária municipal de Assistência Social, Marlene Benália Bataglia, é para que a população não seja conivente com esse tipo de atividade. “Esperamos com essa mobilização, informar e chamar a atenção das pessoas para que, não apenas nesse período, mas durante todo o ano, fiquem de olhos abertos, identificando e denunciando as tarefas, remuneradas ou não, praticadas por crianças e adolescentes que são incompatíveis com a idade e concretizam exploração”, salienta. Nos tempos de folia, de acordo com os dados da SEDS, as atividades mais comuns são as vendas de produtos, recolhimento de materiais recicláveis, vigilância de veículos e transporte de malas ou compras. “Por meio dessa campanha instigamos as crianças a brincar e a estudar e os adultos a estar atentos para realizar a denúncia de qualquer situação como essas através do número 181”, comunica a técnica da área social do escritório regional da SEDS, Rosa Maria Rodrigues de Souza. "]

Fonte: